As dúvidas das mulheres

quarta-feira, janeiro 31, 2007


Consequências físicas do consumo de alcool

- Problemas hepáticos;
- Problemas pancreáticos;
- Gastrites;
- Cancro da orofaringe;
- Hipertensão arterial;
- Neuropatias (alterações da memória);
- Dificuldades na marcha;
- Envelhecimento precoce;
- Cardiopatias.

domingo, janeiro 21, 2007

Faça-se ouvir...
Fumador, não-fumador, defensor ou não de uma vida sem tabaco, expresse as suas opiniões, troque livremente os seus pontos de vista, dê as suas ideias, participando em fóruns neste site ou em debates organizados perto de si.

… participe no primeiro Manifesto dos Jovens Europeus
Após 4 meses de debates, todas as opiniões recolhidas serão agrupadas e resumidas numa declaração comum em grande escala para que toda a Europa saiba o que é que vocês, jovens realmente esperam.


Bibliografia:
http://pt.help-eu.com/pages/index-17.html

Vídeo informativo:
http://www.youtube.com/watch?v=D_kOmKszQhw

sexta-feira, setembro 29, 2006


Um exemplo bem real...

"Letícia (Ana Rocha) é a perfeita dona de casa. Sensível, atraente e bem-educada, preocupa-se com os mais pequenos detalhes da sua casa. Apesar disso, em breve procurará no álcool um escape pela falta de afecto que o marido Nuno tem por ela.".

Esta é uma história que se repete em muitas familias e que leva as mulheres e beber cada vez mais. Mulheres que aparentemente têm tudo para ser feliz, mas que na verdade vivem uma vida de perfeita aparência. A ausência de afecto, carinho e amor da parte dos homens, do marido, é uma das principais causas que levam as mulheres a procurar o alcool.

quarta-feira, maio 17, 2006

Álcool e trânsito

A ingestão de álcool, mesmo em pequenas quantidades, diminui a coordenação motora e os reflexos, comprometendo a capacidade de dirigir veículos, ou operar outras máquinas. Pesquisas revelam que grande parte dos acidentes são provocados por motoristas que tinham bebido antes de conduzir.

terça-feira, abril 18, 2006

Fases do alcoolismo

A doença do alcoolismo possui três fases básicas:

A primeira é a aguda, quando o individuo consome a bebida alcoólica de vez em quando, esporadicamente por ficar alegre, o que é produzido pelo efeito do álcool.

A fase crónica, é aquela em que a pessoa já apresenta problemas no fígado, no estômago. São as chamadas doenças orgânicas - hepática (gordura no fígado), gastrite, perda de peso, insónia e irritabilidade.

A terceira e a mais grave fase da doença é a psicose alcoólica, quando a solução é o internamento do paciente para se submeter a tratamento. Chegando a este estágio, a pessoa fala sozinha, tem alucinações, pode cometer um suicídio sem ter consciência do que praticou. Fica totalmente fora da sanidade mental. existem quatro tipos de psicoses alcoólicas: o delirium tremens, a paranóia, o delírio de ciúmes (pensa que está a ser traído), e finalmente, as psicoses korsakof e wernek, que são terminações fatais em que o individuo vem a óbito.

Mais sobre o alcool...

Uma parte importante dos alcoólatras fica dependente da bebida para aliviar os sintomas de outra doença psiquiátrica, a fobia social --medo de ser julgado por outras pessoas. Água-ardente, uísque e cerveja são utilizados como uma espécie de automedicação contra sensações como tremores, que atingem os fóbicos sociais quando se expõem ao público.

quarta-feira, abril 05, 2006


Maus tratos nas crianças

“Se podermos evitar que a criança maltratada hoje
seja um futuro agressor ou maltratante, será útil
uma intervenção adequada à idade e ao contexto
criança/família”.
Trabalhar no sentido de tirar a criança/família da
disfunção e contribuir para uma vida, o melhor
possível, até que outras alternativas da conjuntura
social possam resolver ou atenuar os problemas
existentes.

terça-feira, março 21, 2006

As Jovens, as Mulheres Adultas e o Tabagismo na UE:Uma Situação Perturbadora
1. Tabagismo entre as jovens e as mulheres adultas da
UE:características e tendências
– Em muitos países da UE, o tabagismo é actualmente mais comum entre as jovens de 15 anos do que entre os rapazes. Uma rapariga é mais propensa a fumar se:
• Tiver atitudes e crenças positivas relativamente ao consumo de tabaco, baixa auto-estima, baixo nível de instrução, atracção pelo risco e pela rebeldia.
• Os pais e os irmãos, bem como os amigos (sobretudo os amigos mais íntimos) forem fumadores, ser oriunda de uma família desfavorecida e/ou mono parental, viver numa comunidade e/ou cultura em que fumar é a norma, tiver outros comportamentos que podem ser prejudiciais à saúde, como beber, e tiver pouco apoio social.
• Puder dispor de um rendimento pessoal elevado, for exposta a imagens positivas do tabagismo divulgadas pelos meios de comunicação.

2. Influências sobre o facto de começar a fumar ou deixar de fumar na UE:
- As jovens são mais propensas a começar a fumar com o objectivo de promover a sua imagem corporal (aumentar a auto-estima), conseguir um maior auto controlo afectivo.
- As mulheres adultas continuam a fumar em grande parte pelas mesmas razões.
Promoção: as jovens e as mulheres adultas foram escolhidas como alvo de mensagens em anúncios e promoções onde o acto de fumar era retratado como positivo e associado a uma atitude de “libertação”.
Produtos: apesar de na UE terem sido proibidas palavras como “suave” e “light”, o marketing continua a divulgar esses conceitos, se bem que mais subtilmente, através de imagens em anúncios (nos locais onde a publicidade ao tabaco ainda é autorizada) e das cores usadas nos maços de cigarros.
Preço: é o factor mais importante do consumo do tabaco, sobretudo no caso das mulheres cujos rendimentos são inferiores aos dos homens.

3. Impacto do tabagismo na saúde das jovens e das mulheres adultas da UE:
- O tabagismo é uma das principais causas de morte entre as mulheres da UE, além de a mortalidade feminina em consequência do tabagismo estar a aumentar – e assim continuará ao longo dos próximos anos.
- O número de mortes por cancro do pulmão entre as mulheres está a aumentar, ultrapassando o das mortes por cancro da mama.
- A taxa de mortalidade por cancro do pulmão na UE é três vezes superior entre as mulheres não fumadoras do que entre os homens não fumadores. Tal deve-se ao facto de as mulheres sofrerem geralmente uma maior exposição passiva ao fumo do tabaco, como no caso de terem maridos fumadores ou devido ao seu tipo de trabalho, além de que têm menos poder para introduzir ou fazer cumprir uma política antitabagista no seu local de trabalho.
- O tabagismo afecta os mais diversos aspectos da saúde da mulher, incluindo a fertilidade.
- O tabagismo é uma das principais causas de desigualdade em termos de saúde entre as mulheres da UE, pois cada vez mais está associado a situações de desfavorecimento social, baixo nível de instrução e pobreza.

A União Europeia
O tabagismo é uma das principais causas de morte entre as mulheres da UE e a mortalidade feminina em consequência do tabagismo está a aumentar. Em 2000, pelo menos 148 000 mulheres morreram prematuramente devido a doenças relacionadas com o tabagismo, tais como cancro e doenças cardíacas – uma assustadora percentagem de 7% relativamente ao total da mortalidade feminina.
Dezenas de milhares de mulheres viram a sua saúde enfraquecida ou sofreram de incapacidades. A campanha HELP, lançada pela UE na Primavera de 2005, tem como objectivo encorajar as jovens e as mulheres adultas a deixarem de fumar.


 
(HTML) -->

Free JavaScripts provided
by The JavaScript Source